NÃO DEIXE DE VER:
Glossário da cor
Artigos
Produtos e Serviços
O SCC - Sistema de Cores Ceco / Color System é um programa inteiramente desenvolvido no Brasil, especialmente para estudantes, professores e profissionais que trabalham com a escolha e a indicação de cores para inúmeras finalidades. Veja como se beneficiar dele através de seus produtos e ferramentas, como o Disco de Cores Cecor, que permite organizar mais de 100.000 combinações, a Cartela ArmColor de Harmonia Cromática, o livro Harmonia das Cores e os Leques de Cores Pessoais etc. E muitos outros, fornecidos impressos ou e em PDF para as mais variadas aplicações em termos de Arte e Ciência da Cor. O CECOR ajuda V. a colocar as cores certas nos lugares certos! Consulte sobre a revenda de produtos e a consultoria técnica. Esta nova Home Page é especial sobre simbolos brasileiros, em homenagem ao Dia da Cor, editada por Nelson Bavaresco
CAFÉ BRASILEIRO. Em épocas passadas, como no tempo de Santos Dumont, o café era a maior riqueza brasileira, designado como “ouro verde”, um simbolo exclusivo do Brasil naquela época. E ainda não deixa de ser pela forte economia derivada da indústria brasileira do café, uma das bebidas mais consumidas em todo mundo. Nosso “ouro verde” vive até uma fase especial, relacionada aos cafés finos, de qualidade comprovada, incluindo cafés orgânicos cujas plantações são auditadas por especialistas, que garantem ao produtor preços diferenciados em razão da demanda internacional. Há também um florescimento das cafeterias especializadas, com baristas treinados para tirar “aquele expresso” especial. Assim, podemos afirmar: “Yes, ainda temos ouro verde”.
 
SABIÁ-LARANJEIRA. Ave símbolo do estado de São Paulo. Adotado com a mesma importância de outros símbolos (a bandeira, o hino, o brasão de armas e o selo) na representação do Brasil. Foi oficializado em 3 de outubro de 2002 por decreto presidencial. É uma ave comum em toda América do Sul e de fácil identificação pelo seu peito ferrugem e seu canto melodioso. Seu nome científico é Tardus rufiventris. Atualmente habitam mais parques e jardins das grandes cidade do que no campo e estão relativamente acostumadas com os humanos. Uma das suas características está na sua melodia flauteada, que sofre pequenas alterações de notas a cada ano. Também existem pequenas diferenças de canto entre diferentes habitats, como por exemplo, entre Rio e S. Paulo.
 
IPÊ-AMARELO. É oficialmente um dos símbolos do Brasil, florescendo geralmente na semana do Sete de Setembro. Ipê em tupi significa árvore cascuda e enrugada, cujo nome é usado em várias espécies semelhantes com flores brancas, rosas, roxas e até lilás. No Norte, Leste e Nordeste é conhecida como pau d'Arco. Proliferam também na Argentina e Paraguai, onde são conhecidas como lapacho. Uma das espécies nativas de ipê-amarelo (Tabebuia chrysotricha) ocorre na Mata Atlântica, aparecendo também no Cerrado e na Caatinga de forma exuberante. No Pantanal é conhecida por peúva (do tupi, árvore da casca). Em algumas regiões de Minas Gerais e Goiás são conhecidas por ipeúna (do tupi, una = preto). Sua madeira é muito valorizada pela resistência e durabilidade, bastante usada na construção naval e civil.
 
BOTO COR-DE-ROSA. Nome dado a 3 tipos de golfinhos fluviais (família Delphinidae), considerado um dos grandes símbolos da Amazônia Brasileira. É o maior dos golfinhos fluviais, com os machos que atingem até 2,55 metros de comprimento por 185 quilos de peso. Possuem estrutura robusta e encorpada, sendo, porém, extremamente flexíveis. Sobre a espécie, existem muitas lendas. Uma delas diz que os botos podem sair dos rios nas noites de festa, quando se transformam num lindo jovem, vestido com roupas brancas. Mas ao raiar do Sol, transformam-se novamente no boto verdadeiro, pois seu encantamento só acontece à noite. Também se diz que sempre deixam muitas jovens perdidamente apaixonadas.
 
VAQUEIRO NORDESTINO. A cor natural do couro marca a indumentária desses rudes e valentes cuidadores de gado. Sua vestimenta é composta por: perneira (calça); gibão (um tipo de jaqueta); chapéu de abas largas (dobradas ao meio); peitoral (uma espécie de avental), completada por luvas e botas. Essas peças protegem a pele do vaqueiro contra queimaduras do sol e dos galhos da vegetação espinhenta das caatingas. O cavalo é seu par, também com partes em couro destinados à sua proteção. Sua figura é um ícone brasileiro, tipico da região Nordestina. Com suas artísticas e bem acabadas vestimentas, são os heróis folclóricos das festas e das vaquejadas, louvados por poetas e cantadores. Vaqueiro é um termo que designa no Brasil pessoas que trabalham com o gado bovino, de modo análogo à concepção do cowboy americano.
 
LAGO AZUL. Localizado na chapada Diamantina onde existem diversas grutas com poços de água cristalina. São atrações imperdíveis para quem se desloca até lá. A transparência da água e a incidência da luz solar criam uma atmosfera mágica, tornando o Poço Azul uma das mais raras belezas naturais do Brasil. Uma das coisas que mais impressionam os visitantes é que mesmo com a profundidade que varia de 20 a 60 metros, é possível ver nitidamente tudo o que está no fundo, como pedras e troncos de árvores. À primeira vista é dificil perceber onde começa o meio aquático entre as rochas. Uma das justificativas para tanta limpidez é a existência de elementos como o carbonato de cálcio, que filtra a água, contribuindo para a sua transparência.
 
CRISTO REDENTOR. Uma estátua art déco que retrata Jesus Cristo de braços abertos, inaugurada em 1931. É o maior símbolo do Cristianismo no Brasil, localizada no topo do morro do Corcovado, no Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro. É uma das Sete Maravilhas do Mundo e em 2012 foi incluída na lista de Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Projetado pelo engenheiro brasileiro Heitor da Silva Costa, foi construída em concreto e pedra-sabão com o auxílio do pintor Carlos Oswaldo. A cabeça e as mãos foram feitas na França pelo escultor Paul Landowski Maximilien. Com o pedestal, o monumento tem 38 metros de altura. Seu peso é estimado em 1145 toneladas, equivalente a um edifício de 13 andares. A estátua do Cristo Redentor se ilumina nas cores verde e amarelo graças a um moderno sistema, que permite ainda outras variações.
 
OLHO DO CECOR. Parte fundamental do logotipo de Sistema de Cores Cecor. Foi desenvolvido para integrar a letra “O” em forma de raios que convergem para o centro da letra, com o sentido de integração das 12 cores básicas do sistema. Para este Dia da Cor Brasileiro foi aplicado sobre o losango da bandeira brasileira, ressaltando a “brasilidade” do nosso sistema de cores. Logo após a independência do Brasil de Portugal, D. Pedro I foi consagrado o Imperador do Brasil, quando foi criada uma nova bandeira para representar o império brasileiro, com destaque para um losango amarelo sobre um retângulo verde, base inicial da nossa atual bandeira. Assim, vale lembrar a famosa frase “nada se cria, tudo se transforma”.
 
 
21 de Setembro, DIA BRASILEIRO DA COR, oficial no Estado de São Paulo pela Lei Estadual nº 14.913 de 19 de dezembro de 2012. A data foi escolhida pela Associação ProCor do Brasil, comemorada quando se inicia a Primavera no hemisfério Sul.  Com o DIA INTERNACIONAL DA COR instituído pela AIC (Association Internationale de la Couleur), comemorada em 21 de março quando se inicia a Primavera no hemisfério Norte, ambas consolidam, ano a ano, importantes elementos sobre a cultura, a arte e a ciência da cor. Nelson Bavaresco, coordenador do Sistema de Cores Cecor© é um dos sócios fundadores da Procor. 
© 2010 - 2021  Gerart Design e Recursos Visuais Ltda, para todos os textos e imagens.